O maior amor do mundo

Um filho é uma oportunidade de amar e de se desenvolver, de se tornar uma pessoa melhor. Sim, para os pais. Um filho é um mundo por si mesmo, é a maior novidade da vida. O seu filho nasce e é a coisa mais importante do seu mundo agora, e nada mais importa, apenas que tenha saúde, que receba todo o seu amor e que seja feliz. Ufa! Parece bastante? Mas assim é a vida: forte, vibrante, bonita, repleta de desafios e às vezes desconcertante. O que eu quero dizer é que não importa como nasce, se nasce como você imaginou ou nasce de alguma outra forma, diferente da que você imaginou. O que realmente importa é que os bebês nascem para dar amor e para receber o amor dos pais. E às vezes o seu bebê pode nascer com alguma deficiência. O meu filho, Henrique, nasceu com trissomia 21 (síndrome de Down).

Hoje é o dia internacional da síndrome de Down, assim estabelecido pela Organização das Nações Unidas com múltiplas finalidades, sendo a principal de gerar conscientização, difundir informação, produzir conhecimento. Somente dessa forma é possível derrubar mitos e superar desafios. Na minha concepção, hoje é um dia para se ressaltar o amor incondicional. É um dia para pensar que cada um deve se desenvolver a seu tempo, cada um a seu ritmo. É um dia para ver o seu filho sorrir, se divertir, gargalhar, sem importar nada, somente a felicidade. É um dia para ser feliz, essencialmente, sem preconceitos, amando sobre todas as coisas. O seu filho seja como seja, ele é seu. É o seu grande amor, o maior amor do mundo.

Desde o nascimento do Henrique até agora, ele só me ensina com o seu amor absoluto. Ele me ensina a amar, a ver o mundo de outra forma, com outras lentes, me ensina o que é realmente importante. Com ele aprendi a ser mãe, a me preocupar com a alimentação (desde a gravidez) como forma de nutrição. Aprendi a amamentar (quebrando os tabus de que não é possível amamentar bebês com a trissomia) e a me alimentar para enriquecer o leite em prol do fortalecimento imunológico do bebê e em prol do seu desenvolvimento neurológico/cerebral. Aprendi que a nutrição é a base estrutural da vida de um bebê e é uma área prioritária em sua vida, e uma área na qual posso atuar, ter um papel e influenciar: escolhendo os alimentos e cozinhando. Aprendi a cozinhar papinhas fora de série para esse bebê fora de série. Aprendi que a receita de sucesso é composta pela tríade inseparável, cujos ingredientes são: nutrição, estímulo e amor! Pra mim a nutrição é a chave da inclusão.

Nesse dia internacional da síndrome de Down, eu só sei que quero seguir aprendendo.

Encerro com uma declaração de amor: obrigada Henrique, meu filho amado, por nascer exatamente assim como você é, sem tirar nem pôr, com trissomia 21, no seio da nossa família e nos “henriquecer” diariamente com o seu amor infinito e com a sua alegria que nos anestesia e nos contagia de tanta beleza. Obrigada Deus por nos dar, ao meu marido, a mim e à nossa família o maior amor do mundo!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s